Masp ganha novo prédio de 14 andares e área de exposição ficará 66% maior

Masp ganha novo prédio de 14 andares e área de exposição ficará 66% maior

Projeto vai custar R$ 180 milhões e será financiado por doações de famílias. Imóvel construído nos anos 1950 para uso residencial foi adquirido pelo museu nos anos 2000, mas projeto ficou engavetado para adequações junto a órgãos do patrimônio.

O Museu de Arte de São Paulo (Masp) ganhará um novo prédio de 14 andares, vizinho ao museu na Avenida Paulista, e, com isso, a área de exposição ganhará um espaço 66% maior.

De acordo com a equipe do museu, o edifício vai passar de 10.485 m² para 17.680 m², com novas galerias (sete), salas de aula, laboratório de restauração, restaurante, loja e depósito.

Por limitações físicas, pouco mais de 1% do acervo do museu é exposto atualmente. São mais de 11 mil pinturas, esculturas, objetos, fotografias, vídeos e vestuário de diversos períodos e continentes.

Este é o acervo de arte europeia mais relevante do Hemisfério Sul e o projeto pretende conceber uma das mais modernas infraestruturas museológicas da América Latina, com financiamento de pessoas físicas, cujas doações somam R$ 180 milhões.

“O objetivo é fazer do Masp um museu para uma metrópole de mais de 12 milhões de habitantes e para o futuro, reforçando o seu papel como referência internacional e equiparando São Paulo a outras capitais culturais”, informou a equipe do museu em nota.

Outra novidade é que haverá conexão subterrânea, já aprovada pela Prefeitura de São Paulo, com o imóvel que é cartão-postal da cidade de São Paulo, sob a Rua Professor Otávio Mendes. Com isso, a bilheteria será transferida para o subsolo, liberando o vão livre e devolvendo a este espaço a sua utilização como praça pública, como já era a proposta inicial de Lina Bo Bardi.

O novo prédio será batizado de Pietro Maria Bardi, que foi o primeiro diretor artístico do museu, e o edifício original será chamado Lina Bo Bardi, arquiteta que projetou o Masp. A ideia é que o edifício Lina seja dedicado à exposição das obras que pertencem à coleção do museu, enquanto as novas galerias do edifício Pietro deverão ser ocupadas com exposições temporárias.

O projeto de expansão do museu começou com o arquiteto Júlio Neves, que foi presidente do Masp de 1995 a 2009. Durante a sua gestão, ele participou da compra do edifício Dumont-Adams e desenvolveu o projeto inicial. O projeto foi alterado em diálogos com os órgãos de patrimônio histórico, e agora está sob comando do escritório Metro Arquitetos Associados, que já é parceiro do museu.

Histórico

A história do Masp começou na rua 7 de Abril, Centro da capital, na sede dos Diários Associados, e o acervo foi transferido para a Avenida Paulista em 1968, no prédio projetado por Lina Bo Bardi, reconhecida pelo conjunto de sua obra com o Leão de Ouro Especial na Bienal de Veneza de 2021.

O projeto dela se tornou um cartão-postal da cidade e um símbolo da arquitetura moderna mundial do século 20.

Fonte: G1

Revista Celebridades

Revista Celebridades

DIRETOR RESPONSÁVEL Alexandre Platcheck MTB: 58.402/SP Whats: (12) 97405-0109 Os artigos, colunas e anúncios, não expressam necessariamente a opinião da Revista CELEBRIDADES.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.