Startup chilena de carne vegetal, NotCo vira unicórnio e já quer dobrar tamanho

Startup chilena de carne vegetal, NotCo vira unicórnio e já quer dobrar tamanho

Após um aporte de US$ 235 milhões, NotCo quer crescer e chegar a outros países.

A foodtech chilena Not Company — mais conhecida como NotCo — acaba de se tornar o mais novo unicórnio do mercado após um aporte de US$ 235 milhões, o que fez com que o valor de mercado da companhia chegasse a US$ 1,5 bilhão. Com isso, a companhia se consolida na seleta lista de startups avaliadas acima do primeiro bilhão de dólares.

“Nós somos o primeiro unicórnio de plant-based e, de certa forma, é mais uma marca importante do que nós propomos ao longo dos anos. Na prática muda pouco, mas aumenta nossa ambição de crescimento”, afirma Ciro Orenstein Tourinho, diretor-geral da NotCo Brasil em entrevista ao CNN Brasil Business.

“Esse investimento traduz e reflete um pouco o reconhecimento do mercado, dos consumidores e dos investidores. Temos a proposta de reinventar a indústria dos alimentos tirando os animais da equação”, conta.

A ideia, com o aporte, é expandir mais ainda geograficamente, chegando a países como o Canadá e o México, “consolidando a participação da empresa nas Américas” e “abrindo as portas para novos itens nos portfólios”.

O foco da NotCo é produzir produtos que parecem com os tradicionais, mas que, em sua essência, não tem nada de tradicional. Como a maionese sem ovos, o sorvete sem leite, o leite que não é de vaca e nem de soja, e a carne que não é de vaca. Todos os itens são feitos com base em inteligência artificial (IA) e no uso de algoritmos.

Para isso, os cientistas da startup desenvolveram as receitas com base no aprendizado de máquina, que faz toda uma análise de como criar réplicas de alimentos de origem animal, mas somente com ingredientes vegetais — e tudo com o mesmo sabor e textura dos originais.

Com o novo título de unicórnio, a ideia também é investir cada vez mais em novos profissionais de tecnologia e de outras áreas para lidar com a expansão. “É uma consequência. Pretendemos dobrar de tamanho no segundo semestre”, diz. Ao todo são 45 funcionários no Brasil e 250 no mundo.

Toda a produção da NotCo é feita por parceiros e não é centralizada pela companhia. O produto é feito com base na IA Giuseppe, criada pela Not Company, na qual é possível mapear grande parte das plantas comestíveis que existem na natureza e, a partir do levantamento, a empresa entende o que aquela planta entrega. Dessa forma, existe uma espécie de match entre quais plantas e verduras podem substituir a proteína animal.

“Recriamos o alimento que a gente ama, e o sabor sempre tem que vir em primeiro lugar. As pessoas vão mudar seus hábitos se não mudarem seu sabor. É mudar, mas sem mudar”, afirma.

A NotCo tem como um de seus principais investidores ninguém mais ninguém menos que Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo e fundador da Amazon e da Blue Origin.

Fundada em 2015 em Santiago, no Chile, por Karim Pichara, Pablo Zamora e Matias Muchnick, um ano depois de sua criação a companhia recebeu um investimento de US$ 30 milhões — cerca de 60% desse valor veio de um investimento da empresa de capital de risco Craftory. O restante veio de Bezos, da Kaszek Ventures e da IndieBio.

Em setembro de 2020, a NotCo recebeu um aporte de US$ 85 milhões, com o foco na expansão dos negócios no Brasil.

A Not Company pode não ser uma “companhia” em seu nome — mas é um unicórnio. E vegetariano.

Fonte: CNN Brasil

Revista Celebridades

Revista Celebridades

DIRETOR RESPONSÁVEL Alexandre Platcheck MTB: 58.402/SP Whats: (12) 97405-0109 Os artigos, colunas e anúncios, não expressam necessariamente a opinião da Revista CELEBRIDADES.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *