CACHORROS PEQUENOS: 11 RAÇAS IDEAIS PARA APARTAMENTOS OU CASAS MENORES

CACHORROS PEQUENOS: 11 RAÇAS IDEAIS PARA APARTAMENTOS OU CASAS MENORES

Em sua essência, os cachorros são animais sociáveis que gostam de viver próximo do tutor. Mas dependendo da raça e da criação, eles reagem de formas diferentes em um ambiente pequeno, seja apartamento ou casa. Alexandre Rossi, especialista em comportamento animal do Grupo Petz, e Cristina Pliego, professora de Medicina Veterinária da Estácio, concordam que as pessoas podem, se quiserem, terem animais de todos os tamanhos nos lares menores, mas fazem diversas ressalvas.

A adaptação dos cachorros grandes vai depender bastante das necessidades básicas a serem atendidas, como brincar e passear. Cachorros de grande porte precisam de espaço para se movimentar e fazer as necessidades fisiológicas. Existem raças que não precisam gastar tanta energia, mas muitas precisam se movimentar e socializar fora de casa”, diz Pilego.

Além de levar em conta o tamanho do animal, a escolha do pet vai depender de vários fatores, mas o principal deles é pegar um cachorro que acompanhe o seu ritmo. Também será necessário decidir se deseja um bicho com pelo curto, se prefere um ser mais ou menos agitado. De acordo com Juliana da Silva Andrade, professora de Medicina Veterinária do Centro Universitário da Serra Gaúcha, no final das contas, os cachorros pequenos acabam sendo os mais indicados para viver em lares menores, pela maior capacidade deles de adaptação aos espaços.

Isso acontece porque as raças de menor porte precisam de menos espaço para viver e se exercitar e, apesar deles também gostarem de passear para desestressar,, caso o dono não tenha muito costume ou tempo para sair de casa, os animais vão se acostumam a fazer as atividades dentro de casa.

Mesmo tendo tamanhos parecidos e sendo bastante sociáveis, esses animais têm características específicas que precisam ser levadas em conta na hora de escolher. Para as professoras de veterinária, criar um animal é igual a criar uma criança: precisa dar educação e rotina. Caso você deixe o cachorro fazer tudo o que quiser, ficará difícil controlar o comportamento. Conheça a personalidade, pontos positivos e negativos, e as doenças mais comuns de cada uma das raças indicadas para viver em apartamentos e casas pequenas.

 Raças mais indicadas

Pinscher

Personalidade: geralmente essas raças de cachorro são bem ciumentas e acabam adotando um dos tutores da casa; Tamanho: 25 a 30 centímetros; Pontos positivos: a raça é conhecida por ser destemida e estar sempre em alerta; Pontos negativos: tem uma personalidade forte, costuma latir bastante e, quando se sente ameaçado, enfrenta qualquer cachorro, mesmo que seja maior que ele. É comum a raça ter sarna, doenças de pele, luxação de patela, atrofia progressiva da retina e problemas cardíacos;

Chihuahua

Personalidade: assim como o Pinshcer, geralmente essas raças de cachorro são bem ciumentas e acabam adotando um dos tutores da casa; Tamanho: de 15 a 22 centímetros; Pontos positivos: a raça é inteligente, corajosa e muito afetuosa; Pontos negativos: assim como Pinscher, pode agredir outros animais se sentir ameaçado. Pode ser afetado por condições hereditárias e/ou genéticas como glaucoma, obesidade, hipoglicemia e lesões espinhais. Além disso, é bem ativa, por isso você precisará passear com o cachorro ou brincar bastante com ele dentro de casa.

Yorkshire

Personalidade: tem uma fama de ser bem agitado, mas pode ser tranquilizado dependendo da criação e do tutor. Tamanho: 15 a 20 centímetros; Pontos positivos: é muito carinhoso, dócil e bom cão de guarda. Não precisa fazer muito exercício e é uma boa opção de pet para pessoas alérgicas; Pontos negativos: se não tiver uma socialização adequada, pode estranhar desconhecidos e ser agressivo com outros cães. A raça pode ter uma série de problemas de saúde. Males no quadril e nas articulações, má digestão, cáries e fraturas ósseas são as principais doenças.

Maltês

Personalidade: é um tipo de cão inteligente, esperto, dócil e brincalhão; Tamanho: 20 a 25 centímetros; Pontos positivos: por gostar de companhia, costuma se dar bem com todos, até com estranhos. Apesar de excelente cão de família, tende a se relacionar melhor com crianças mais velhas; Pontos negativos: costuma latir bastante e ser bem teimoso, e detesta ficar sozinho em casa. Esse tipo de cachorro pode ter endocardiose, uma doença do sistema cardiovascular progressiva e sem cura, hérnia e glaucoma.

Shih Tzu

Personalidade: é uma das raças pequenas mais tranquilas, inclusive é usado em terapias comportamentais; Tamanho: 23 a 28 centímetros; Pontos positivos: é extrovertido e se dá muito bem com crianças; Pontos negativos: por causa da carinha achatada, o dono não poderá caminhar muito tempo com o animal. Além disso, é necessário ter um cuidado especial por causa do pelo longo. A raça costuma ter diferentes tipos de alergia (alimentar, na pele e respiratória), e desenvolver cálculos e infecções na bexiga.

Lulu da Pomerânia

Personalidade: o Lulu da Pomerânia tem fama de ser bravo, por isso é bom ver o histórico dos pais porque pode vir da genética; Tamanho: 18 a 22 centímetros; Pontos positivos: é fácil de ser treinado, atento e é excepcionalmente devotado ao seu dono; Pontos negativos: por ser um cão delicado, dependendo da força da brincadeira, pode ficar machucado. Tem propensão ao desvio de patela, isto é, quando as articulações da região do joelho desencaixam, causando dor e comprometimento da mobilidade.

Poodle

Personalidade: é inteligente e adora brincar com os seus tutores; Tamanho: 25 a 40 centímetros; Pontos positivos: excelente companheiro, muito fiel e excelente nadador; Pontos negativos: bem agitado, por isso precisa gastar bastante energia diariamente. É necessário ter um cuidado especial com os pelos para não grudarem. Pode ter diferentes tipos de doenças nos olhos como catarata e glaucoma, além de epilepsia e o hipertireoidismo.

Pug

Personalidade: raça dócil, tranquila e amorosa; Tamanho: 25 a 30 centímetros; Pontos positivos: é extremamente devoto ao dono, por isso ficará feliz só de estar aninhado no sofá com o seu humano. É um cão doméstico ideal para famílias ou idosos que moram sozinhos; Pontos negativos: são animais braquicefálicos, por isso muitas vezes têm o nariz mais fechado do que de outros animais. Em razão disso, o dono não poderá correr com esses tipos de animais.

Buldogue francês

Personalidade: ama ficar próximo da família, animado, brincalhão e enérgico; Tamanho: 24 a 35 centímetros; Pontos positivos: se dá bem vivendo em apartamentos e convivendo com crianças. Pontos negativos: assim como o Pug, o Buldogue francês é braquicefálico, por isso muitas vezes tem o nariz mais fechado do que de outros animais. Em razão disso, o dono não poderá correr com esses tipos de animais. Apesar de se cansar com facilidade, o Buldogue francês precisa gastar bastante energia;

 Dachshund (salsichinha)

Personalidade: Ele é uma das raças mais animadas e cheias de energia, por isso precisa fazer bastante exercício; Tamanho: o tamanho dessa raça não é medido pela altura como os outros cachorros, mas sim pelo diâmetro do tórax. O cumprimento dele pode variar de 30 a 35 centímetros; Pontos positivos: é inteligente, corajoso e alegre; Pontos negativos: em razão da conformação óssea do animal, não é indicado que viva em casa ou apartamento com escadas. Esse tipo de bicho é propenso a desenvolver hérnias de disco, hipotireoidismo e uma deficiência visual chamada de atrofia progressiva da retina.

Vira-lata de porte pequeno

Personalidade: esse tipo de cachorro costuma ser esperto, agitado e carinhoso. Mas em razão da mistura de raças, o temperamento pode mudar de cão para cão; Tamanho: 33 a 43 centímetros; Pontos positivos: por causa da mistura, o cão sem raça definida se torna mais resistente a alguns tipos de doenças; Pontos negativos: por desconhecimento da parentela pode ser difícil identificar doenças para fazer pré-tratamento.

Adaptação do apartamento e da casa para receber o animal

O especialista em comportamento animal do Grupo Petz deu diversas dicas para os donos adaptarem o lar e cuidarem melhor dos cachorros pequenos: É importante que o tapete higiênico esteja razoavelmente distante da água e da comida; Coloque produtos tóxicos e alimentos que fazem mal ao pet, como uva e chocolate, fora do alcance; É ideal impedir o acesso dos animais a locais perigosos como escadas, piscina e varanda com portões, e rede nas janelas; Higienize a casa com produtos específicos vendidos em pet shop, principalmente se o animal for filhote; Prepare um cantinho para que o cachorro fique perto de onde as pessoas estejam bastante tempo, como o quarto ou a sala. Dentro do espaço do animal é necessário ter a caminha, brinquedos, pote de água e tapete higiênico; O pet não deve ter acesso não supervisionado a bebês e crianças muito pequenas; Ao sair, o ideal é fechar todas as rotas de fuga ou com risco de queda.

 

Fonte: UOL

Avatar

Revista Celebridades

DIRETOR RESPONSÁVEL Alexandre Platcheck MTB: 58.402/SP Whats: (12) 97405-0109 Os artigos, colunas e anúncios, não expressam necessariamente a opinião da Revista CELEBRIDADES.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *